FanFic - Estou Com Você - Cap. V


 A história se passa um pouco após o episódio 6x22 - The Hole in the Heart
Tema: Live Like There's no Tomorrow - Selena Gomez

Para Nanda, Nádia e Ingrid que gostam de histórias,
para Sophie, que vai gostar também,
e para Poliana, que foi quem leu esta primeiro.

Capítulo V - Viva como se não houvesse amanhã

Ao verem Trudeau parado ali, todos ficaram estáticos. Eles não sabiam do que ele era capaz.
- O que pensam que estão fazendo? – perguntou Trudeau nervoso
- Nosso trabalho – afirmou Booth em tom de desafio
- Vocês não sabem com quem estão lidando... Meu trabalho está quase completo e são vocês que sairão perdendo.
Enquanto Cam, Booth e Brennan o encaravam, Sweets sussurrou para Caroline:
- Ele quer dizer com isso o que eu acho que ele quer dizer?
- Com certeza, cherie. Criminosos ficam malvados quando você está perto de pegá-los.

- Quem será o próximo? – inquiriu Trudeau sobre o interrogatório, mas sem obter respostas. – Como não há voluntários, você é a próxima sra. Montenegro.
Brennan viu Ângela empalidecer. Hodgins também notou e interferiu:
- Ela não está se sentido bem agora. Como você vê, ela está grávida. Portanto, eu irei. – ele usou sua voz mais grave na tentativa de causar a Trudeau uma parte do que ele estava causando a Ângela
- Ora, ora... O conspirador. Que seja, então.
- Na verdade, você não vai a lugar nenhum Hodgins. Nem ninguém. Você, Trudeau, é quem vai nos acompanhar. – avisou Booth
- Temos evidências que mostram que você esteve em contato com Andrew Franchetti. – acrescentou Brennan

Era Trudeau quem empalidecia agora. Brennan havia atingido o ponto certo.
- O que? Vocês não podem fazer isso. O FBI não concedeu a vocês nenhum direito. Sou seu superior, tenho imunidade a este tipo de situação.
- Sim, podemos. Temos todo direito de interrogá-lo. Este é um caso federal, temos um mandato – afirmou Booth pegando o papel que Caroline havia providenciado enquanto eles investigavam – e você renunciou a sua posição como diretor assistente ao se apresentar, o que repercute sobre os seus direitos como membro do FBI.
- Mas eu não renun...
- Você não impôs autoridade durante boa parte dos interrogatórios, um deslize na verdade, que permitiu créditos às dúvidas de Bones
- O FBI é formado por hierarquia – explicou Brennan – e pela atuação entre os seus. Quando você não usou seu título e permaneceu como agente, sabia que havia algo errado. Todas as sociedades são constituídas por hierarquias.
- Você quer me associar a um crime pela negligencia de um título?
Trudeau, novamente, estava nervoso. Era clara a sua perturbação.
- Precisamos conversar. Vamos – chamou Booth indicando o caminho para uma sala no Jeffersonian. 

Brennan, que o analisava enquanto saia, foi até Ângela.
- Você está bem?
- Sim, estamos bem. Como já te disse, ele me assusta.
- Preciso que você continue investigando os casos em que ele estava envolvido. Você poderia analisar os traumas do corpo de Franchetti e ver se fraturas subcapitais do 5º metacarpo se encaixam?
Ângela a olhava com uma expressão divertida.
- Português, Brennan. Em português.
- Fratura de Boxeador.
Ângela fez um sinal com a cabeça e se dirigiu ao seu computador. Aquele dia estava sendo muito exaustivo.
- Preciso que vocês examinem Franchetti – dizia Brennan para seus estagiários – e ajudem Ângela com as fraturas.
- Tudo bem, Dra. B.
- Ângela, quanto tempo?
- Eu diria pouco mais de 30 minutos
- Ok. Estarei com Booth enquanto isso. Mande alguém me chamar quando terminarem.
Enquanto ela ia ao encontro de Booth, ela fez duas ligações. A primeira foi para que uma equipe analisasse a cena do crime novamente e buscassem pela verdadeira arma de Trudeau. Se suas observações estivessem certas, haveria incriminações lá. A segunda foi para chamar o diretor geral do FBI.

“Agora é a hora de se arriscar. Vamos lá, nós temos que nos defender”

- Agente Trudeau, qual era sua relação com Andrew Franchetti?
- Eu não sei sobre quem estamos falando.
- Andrew Franchetti, empresário de uma fábrica de bebidas alcoólicas, que foi espaçado e morto por um tiro.
- Não o conheço – afirmou Trudeau com sua voz fria.
- Como quebrou sua mão? – interrompeu Brennan
- Não quebrei nada
Brennan pegou a mão dele e esticou os dedos, sem delicadeza.
- Estão quebrados, mas pelo movimento da cartilagem já estão se regenerando. Booth, eu não poderia afirmar sem um raio X, mas diria que o tempo coincide com a morte de Franchetti.
- O que você tem a dizer Trudeau? Os fatos apontam para sua participação no crime.
- Me nego a responder qualquer outra pergunta sem a presença de um advogado.
- Que isso não seja um problema – disse Booth indo a até a porta e acenando para Sweets e Caroline.
Os dois entraram na sala, cada qual mostrando certa agitação e contrariedade.
Enquanto Sweets e Caroline intimidavam Trudeau, Brennan pediu para conversar com Booth.
- Booth, fiz uma coisa, mas não sei se foi certa.
Booth apenas a olhava. Brennan não era o tipo de mulher muito emotiva, mas era corajosa, ousada e dura quando necessário.
- Eu chamei o diretor do FBI.
Ele não se surpreendeu. Talvez fosse a coisa certa a fazer. Ele mesmo já havia cogitado aquela ideia.
- Booth, por favor, diga alguma coisa. Você ficou bravo?
- Não, Bones, tudo bem. Acho que você fez certo.

“O que temos a perder?
As escolhas estão em nossas mãos”

- Dei instruções para Ângela e os outros procurarem alguma coisa.
- Não temos tempo para investigá-lo por completo. Precisamos de algo para mostrar ao diretor quando ele chegar ou... ou...
- Irão nos separar definitivamente. – completou Brennan – Mas Booth, precisamos de evidências concretas, não podemos arriscar um palpite.
- Você fez isso antes.
- Eu nunca faço isso! Minhas dúvidas foram baseadas em contradições evidentes e, apesar de afirmar que havia algo errado, Trudeau ofereceu inconstâncias durante os interrogatórios.
- Ok Bones, não vou discutir isso com você – disse ele com uma risadinha que aumentou quando viu a expressão de indignação dela.
- E se estivermos errados? – começou ela
- Não estamos. Nós vamos pegá-lo.
- Você tem feito um ótimo trabalho – elogiou ela
Ele a abraçou e disse em seu ouvido
- Nós temos.

Brennan olhava para ele. O rosto de Booth estava perto do seu. Da onde vinha aquela intensa vontade de beijá-lo? Percebendo o desejo nos olhos dela, ele deu um sorriso. Tentando ignorar aquelas sensações ela disse:
- Precisamos voltar. Não podemos fazer isso de novo.
Ele cedeu à tentação e roçou a boca sobre a dela, saboreando a maciez dos lábios sob os seus.
- Não acho que isso seja uma boa ideia – disse ela tentando resistir
- Concordo, mas vou roubar um beijo antes.
E ela foi imediatamente inundada por aquela energia. Uma energia tão poderosa que fazia seu coração pulsar de excitação.
Os lábios dele deslizavam suaves, mas firmes sobre os dela, em uma carícia gentil e intensa. Ela entreabriu os lábios num suspiro, possibilitando que ele introduzisse a língua em sua boca e aprofundasse o beijo. Booth soltou um gemido quando Brennan passou os braços em torno do pescoço dele na tentativa de tê-lo ainda mais junto de si.
Então, de repente, ele a soltou e afastou-se. Brennan o fitou às cegas, consciente de que estava arfando. Com a voz rouca, Booth finalmente lhe disse:
- Precisamos terminar logo com isso. Não estou mais agüentando esperar.
- Mais tarde, prometo. – assegurou Brennan pensando na noite que passariam juntos.

“E nós podemos encontrar uma maneira de fazer qualquer coisa, se tentarmos”

Ao voltarem para a sala, Sweets veio ao encontro deles.
- Trudeau não fala nada. A sua aparente normalidade, a sua máscara de sanidade, torna-o mais difícil de ser reconhecido e, logicamente, mais perigoso.
- Eu não vou dizer nada. Não fiz nada. – dizia, quase gritando, Trudeau para Caroline
- Encaminhamos sua arma para a balística. Se o resultado for negativo, você pode esquecer isso e agüentaremos as consequências. Se não, você irá falar com o promotor. Casos de corrupção dentro do Bureau são os mais complicados.
- Quando o diretor ficar sabendo da falta de comprometimento com o protocolo por parte de vocês, esse sorriso vai sumir.
Cam entrou na sala neste momento e disse confiante:
- Booth, o diretor do FBI está aqui.
- É hora dele saber no quê seus agentes estão metidos. – afirmou Booth forçando Trudeau a se levantar.

Enquanto Booth, Cam, Sweets e Caroline iam para a sala encontrar o diretor do FBI, Brennan foi até a sala de Ângela.
- Brennan, como já sabemos Andrew era filho de Antônio Franchetti, um empresário poderoso. No entanto, alguns arquivos apontam que ele é o chefe da máfia italiana. Mas nunca ninguém encontrou provas contra ele.
- Então, estávamos certos. Ele está envolvido com mafiosos. Sim, agora tudo faz sentido. Você não comentou sobre casos de jogatinas e extorsão que ele encerrou sem resolução?
- Mas como o FBI não percebeu? – perguntou Ângela impressionada
- Eles perceberam. Conheço um experimento quando vejo um. É por isso que estamos aqui. Foi uma armadilha. Preciso contar para Booth.
Brennan estava animada. Eles tinham acertado.
- Brennan, espera! Os golpes que Franchetti recebeu correspondem com as fraturas que você disse, mas meu computador aponta para danos no escafóide também.
- Oh é claro! Como não percebi? Ele não rotaciona o pulso. Provavelmente ele deve ter sofrido uma queda enquanto enfrentava Franchetti. Obrigada Ângela, acho que é o bastante.

O homem que esperava por eles era um pouco mais alto que Booth e seus cabelos grisalhos indicavam que estava entre os 50 e os 60 anos. Sua aparência física não era impressionante, mas sua postura séria carregava o ar com autonomia e poder.
- O que há de tão urgente para vocês terem me chamado?
- Diga-nos o senhor o por que disso tudo – desafiou Bones entrando na sala e se colocando ao lado de Booth. McMahon a olhou com muita atenção e sorriu de modo misterioso.

- Você deve ser a Dra. Brennan. Sou Victor McMahon, diretor geral do FBI. Agente Booth – cumprimentou ele com um aceno – O que houve aqui? Trudeau, você terminou a avaliação?
- Não, senhor. Houve um mal entendido com o agente Booth e a Dra. Brennan antes que eu pudesse entrevistar todos. No entanto, meus relatórios já introduzem uma conclusão – respondeu ele se esquivando da pressão que Booth fazia ao segurar seu braço. Ele, então, entregou os relatórios para McMahon, que analisou-os por um momento.
- Entendo – concluiu ele após lê-los superficialmente – Considerando as informações aqui contidas, o FBI determina, Agente Booth, Dra. Brennan, que a parceria de vocês seja suspensa.
Todos, exceto Trudeau e Brennan, olharam para McMahon espantados.
- Oh, meu Deus – exclamou Cam chocada