FanFic - Estou Com Você - Cap. VI



A história se passa um pouco após o episódio 6x22 - The Hole in the Heart
Tema: Live Like There's no Tomorrow - Selena Gomez

A Poliana, Nanda, Nádia, Ingrid, Marcelle, Clarissa, Ana B., Carol, Sabrina, Ana Lulu, Lorena, Angie, Jácia e Aline,
que transformaram o meu mundo em magia

Capítulo VI - Agora é a hora de arriscar

Anteriormente em "Estou Com Você"...
– Você deve ser a Dra. Brennan. Sou Victor McMahon, diretor geral do FBI. Agente Booth – cumprimentou ele com um aceno – O que houve aqui? Trudeau, você terminou a avaliação?
– Não, senhor. Houve um mal entendido com o agente Booth e a Dra. Brennan antes que eu pudesse entrevistar todos. No entanto, meus relatórios já introduzem uma conclusão – respondeu ele se esquivando da pressão que Booth fazia ao segurar seu braço. Ele, então, entregou os relatórios para McMahon, que analisou-os por um momento.
– Entendo – concluiu ele após lê-los superficialmente – Considerando as informações aqui contidas, o FBI determina, Agente Booth, Dra. Brennan, que a parceria de vocês seja suspensa.
Todos, exceto Trudeau e Brennan, olharam para McMahon espantados.
– Oh, meu Deus – exclamou Cam chocada
Brennan não estava surpresa, então, se a dirigiu McMahon:
- Posso falar com Booth um momento? – ela ainda não tinha tido oportunidade de lhe contar o que ela e Ângela descobriram. Ele precisava saber, assim eles poderiam reivindicar aquela decisão. Era isso que o FBI queria, não era?
- Dra. Brennan... – começou Trudeau
- Aceitamos os termos do FBI quanto ao interrogatório e quanto a sua avaliação. Estamos no Jeffersonian e, apesar de serem nossos superiores, aqui são nossos convidados.
- A última vez que você pediu pra falar com o agente Booth – continuou ele
- Preciso de apenas alguns minutos. Pode nos dar? – Brennan ignorava Trudeau e se dirigia exclusivamente a McMahon
- Argumento aceito, Dra. Brennan. Não demorem.
Enquanto Brennan saia com Booth, ela pode ouvir McMahon conversando com Cam sobre o Jeffersonian.

“Nunca deixe a vida nos passar para trás. Viva como se não houvesse amanhã”

- Booth, é tudo armação! Eles já esperavam isso: a investigação, o resultado da análise de Trudeau, tudo. Trudeau é o nosso cara e o FBI sabia disso.
- Bones, eles acabaram de nos separar, você notou isso? – Booth estava desorientado. Ele buscava uma resposta nos olhos de Bones, e a calma que encontrou neles o animou.
- É claro que eu notei! Mas eles não vão nos separar. A balística confirmou que a bala que matou Franchetti é da arma que o FBI achou na cena do crime. A arma de Trudeau. E as lesões que Franchetti tem combinam com a fratura de Trudeau. Do que mais precisamos? – brincou ela em seu tom mais jovial, tentando retirar a expressão preocupada de Booth – Vamos protestar essa decisão. Trudeau está terminado.
- Eu sei como você vê as coisas... E você quis dizer que ele está liquidado, certo?
- Foi o que eu disse.
Brennan não sorria, mas sua expressão revelava que estava satisfeita com a mudança de humor de Booth.

- Senhor, nós nos opomos à decisão de vocês.
Trudeau se levantou em sinal desespero. McMahon estava calmo.
- E por que agente Booth?
- Porque a avaliação foi feita por um representante corrupto, que manchou o FBI. Havia interesse da parte dele em nos separar. Peço que qualquer benefícios e protocolos sejam ignorados em relação a ele.
- Ridículo! É só uma estratégia para ficarem juntos! – contradisse Trudeau

“A única chance que jamais encontramos. Acredite naquilo que sentimos por dentro”

- A balística comprovou o uso da arma do agente Trudeau no assassinato de Andrew Franchetti. Temos apontamentos de que ele está envolvido com a máfia. – complementou Brennan – Após a análise dos seus arquivos, encontramos padrões de acobertamento de casos envolvendo extorsão de propinas, subornos, atividades ilícitas como tráfico de drogas e, recentemente, você desviou a atenção de um assassinato.
- Você não encaminhou nenhum para nenhum departamento responsável, o que faz de você cúmplice. Franchetti achou que você estava facilitando para o FBI quando soube da sua promoção? Por isso diminuiu suas ações dentro do grupo?– acrescentou Booth
- Sua fratura da mão direita corresponde com os golpes que Franchetti recebeu. Conte-nos, você deixava Andrew se passar por você como agente para facilitar os serviços? - falava Brennan rapidamente - Quantos distintivos falsos vocês tem?
- Ele se achava capaz de ser agente federal, mas não o deixava como chefe? O que você disse para Antonio Franchetti quando ele soube que o filho estava morto?
- Vocês não deviam ter se intrometido! Eu sabia que vocês iriam estragar tudo, sempre estragam. Vocês juntos são uma ameaça! – disse Trudeau com movimentos exasperados. Ele falava mais para si mesmo do que para os outros. Sua confissão saia rápida e maneira abrupta. – Agora, Antonio vai querer vingança. Eu não serei mais o chefe...
- Acredito que o senhor reconhecerá nossa boa resolução agora. Acho que as provas e o depoimento dele perante outras testemunhas sejam suficientes, além da sua própria comprovação.

McMahon o olhou com consentimento e se dirigindo a Trudeau disse com desgosto:
- Trudeau, você está preso por assassinato, fraude e participação no crime organizado.
- Não! Eu não irei para a cadeia e tampouco Franchetti me torturará. – sua expressão estava fria, mas sua voz transmitia impaciência - É a minha vez de comandar e enriquecer! – ao dizer isso, ele sacou sua arma rapidamente e apontou para Booth que estava a sua frente.
- Eu vou sair daqui e vocês vão me garantir proteção. Sou um diretor assistente, eu tenho direitos!
Brennan estava agitada. Ela já vira Booth com uma arma apontada para si, mas ele também estava armado. Como eles sairiam dessa?
Ela analisava Trudeau, preocupada com Booth. Seu único ponto era... sim, claro! Sua mão. Se ela acertasse o pulso dele, se conseguisse causar um impacto no escafóide, a mãe dele dobraria e ele não conseguiria segurar a arma, tão pouco puxar o gatilho. Mas ela estava um pouco distante. Por que ela foi fica tão perto da porta? Ela precisava de aproximar de Booth. Ela percebeu que Cam e Hodgins olhavam pra ela, então, ela moveu discretamente seu pulso na tentativa de que eles estendessem a mensagem. Sem esperar por uma resposta deles, ela agiu:
- Não atire Trudeau! – disse ela na voz mais alta e firme que conseguiu enquanto ia ao encontro deles. – Vamos fazer um acordo!
- Que acordo, Dra. Brennan? É por sua culpa que estou nesta situação – em cada olho dele havia um brilho de ódio

“Bones, o que você está fazendo?” perguntou-se Booth. Ele não gostava de vê-la entrando em situações de risco. E naquele dia, ela tinha feito mais loucuras que o normal.
Brennan pensava incessantemente. Com o que ela poderia mirar Trudeau? Sua mente rápida apontou para seu rolex. Seria uma pena caso o golpe fosse forte e o quebrasse. Mas Booth valia muito mais do que todos os rolex do mundo pra ela.
- Eu garantirei que você tenha o que quer. Não machuque Booth, nem ninguém.
- Bones! – a advertência de Booth veio após ela pronunciar tais palavras e colocar ao lado dele. – Você sabe que minha palavra é confiável! Deixe-os ir!
Trudeau pensou um pouco. A sala estava envolvida em tal silêncio que Brennan conseguia ouvir a respiração de Booth atrás de si.
- Saiam todos! – gritou Trudeau, que logo foi obedecido – Dra. Brennan, quero que me garanta um modo de fuga seguro! E, McMahon? – chamou ele enquanto Victor saia - Não deixe essa história vazar, entendeu?
Booth era o único que ainda não tinha se movido. Ele não poderia deixá-la sozinha.
- Vamos, agente Booth! Saia! – Ele o olhava com fúria ao apontar pra Brennan – Sua namorada soube negociar... e fui quem saiu ganhando.
O rosto de Brennan contraiu-se em desagrado. Trudeau era um psicopata. Quando tudo terminasse, ela mataria Sweets por não tê-los alertado sobre este lado dele.
- Booth, por favor...

“E nós vamos fazer isso juntos. Só você e eu. Nada é impossível”

A súplica dela para que saísse o fez ter certeza de que deveria ficar. Ele não havia prometido uma vez que nunca a deixaria?
- Vou ficar com você – sussurrou ele para que apenas ela ouvisse
Brennan abaixou a cabeça para esconder o sorriso. Aquelas palavras, naquela situação, eram muitas valiosas. Quem estava protegendo quem ali? O que eles tinham era... raro. Mas incrível. E ela lutaria por aquilo. Já havia esperado muito tempo para ser feliz. Seis anos, na verdade.
Enquanto Trudeau fixava Booth, ela deu alguns passos para trás. Booth a viu parando com o relógio na mão.
- Dra. Brennan...
Tudo aconteceu muito rápido. Brennan jogou seu relógio no pulso de Trudeau, mirando a parte do osso lesado. Sua mira era boa, mas enquanto puxava Booth para si, ela ouviu um tiro.

“Porque tudo o que temos está aqui e agora. Ame como se fosse só o que sabemos. Viva como se não houvesse amanhã”


Desculpem pelo atraso da postagem :/ Tem sido mto corrido esses dias. QUERO DAR OS CRÉDITOS DA ORGANIZAÇÃO, CORREÇÃO E APOIO DESTE CAPÍTULO E DO ANTERIOR PARA A POLIANA, QUE ME AJUDOU MUITO NAS TARDIAS HORAS DA NOITE ESSA SEMANA *-* Pretendo colocar o último cap. domingo...
Espero que estejam gostando. Como já disse, é uma história amadora que criei para passar o tempo. Fico muito feliz de poder dividir ela com vocês e receber tantos elogios e coisas boas. Aprendi e cresci mto com vocês, além de ter feito amigas que vou levar para o resto da vida. Ainda não terminamos, mas obrigada por tudo!